(En)cantos do vinil

Por: Jornal de Hoje

O Vida &Arte faz um giro por redutos que comercializam discos de vinil em Fortaleza. Um roteiro que vai dos sebos mais tradicionais aos lançamentos e lojas mais modernas

Em meio a um mundo de zilhares de álbuns ao alcance de um click, entre clássicos e novidades cada vez mais difíceis de acompanhar, eles continuam tendo um lugar especial na estante ou no imaginário afetivo de muita gente. Os argumentos de quem coleciona ou não troca um disco de vinil por outro formato são diversos: a qualidade do áudio sem compressões, as ideias materializadas nos encartes, a sensação de interagir com uma obra não-fragmentada, o tato, o fetiche da posse… Enfim, nem Freud explica. E muito menos viemos aqui para isso.

Mas enquanto no estrangeiro uma boa quantidade de artistas coloca naturalmente seus novos (re)lançamentos em vinil na praça (ou alguns criam seus próprios selos, como a Third Man Records, de Jack White), por aqui o movimento é bem mais tímido. O consumo dos apaixonados pelos LPs se relaciona mais com o antigo, com as sobras de um passado, com o que antes era agora e hoje é raridade.

“A tiragem (de novos lançamentos em LP) é pequena. O preço (final, com impostos e fretes) censura muito o consumidor”, explica João Paulo Sampaio, um dos sócios da loja Desafinado. Apesar do preço restritivo, para quem deseja encomendar algum título, a loja realiza o serviço com prazos que podem durar 15 dias ou mais de mês.

Na Livraria Cultura, os LPs têm literalmente seu cantinho. Entre relançamentos e edições especiais de clássicos (Beatles, Black Sabbath, David Bowie, entre outros, incluindo o Pâebirú, de Lula Cortês e Zé Ramalho – vendido a R$119,90 -, que já foi classificado como o “mais caro e raro disco nacional”), é possível encontrar também muita produção recente – de Radiohead (The King of Limbs, 2011) a Jamie XX (We’re New Here, 2011, remixando com classe Gil Scott-Heron). Entre os títulos deste ano, há o Nação Zumbi ao Vivo no Recife (R$74,90), marcando os 15 anos do grupo, e também o mais recente do Sir Paul McCartney, Kisses On The Bottom (R$159,90). A livraria também aceita encomendas.

A Planet CDs, funciona há 15 anos na galeria Pedro Jorge. O acervo – todos novos e a maioria de importados – possui “entre 400 e 500 títulos”, segundo explica o dono Márcio Bandeira. A média dos preços é R$100 (com alguns mais caros), seguindo o preço de mercado, como explica Márcio.

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s